domingo, 12 de junho de 2011

Eu gosto de casa, ele da rua. Eu gosto da paz, ele da agitação. Eu prefiro ter poucos amigos, ele tem centenas. Eu gosto de salgado, ele de doce. Eu quero ir por um lado, ele pelo outro. Eu gosto do frio, ele do calor. Eu gosto de filosofar, ele vai direto ao ponto. Eu sou paciente, ele é explosivo. É tudo ao contrário. E nunca passaria pela minha cabeça que pessoas tão diferentes, tão adversas, tão contrárias, poderiam se entender tão bem assim...