terça-feira, 16 de outubro de 2012

O amor.. e nós dois.



O amor é muito mais que palavras. Amar é um verbo, mas torná-lo real vai muito além de qualquer definição. Você não o pega, você não o segura. Amar não é se encher de pessoas vazias para se sentir completo. Não é gritar ao mundo seus sentimentos, muito menos se esconder neles. O amor não se mantém com promessas, indiretas nas redes sociais ou migalhas. 

A gente encontra o amor naquele sorriso que escapou sem que pudéssemos perceber ao receber uma sms. Ele está no encontro de olhares perdidos. Na dança desengonçada em frente ao espelho. O amor está na loucura, na razão, nas noites de ciúme e naquele abraço quentinho. Ele está onde a gente não procura. Não dá pra calcular, nem medir, muito menos descrever. O amor se mostra sem nos pedir permissão. E de repente, ele não precisa das suas palavras porque cria forma por si só. Você não precisa de sinônimos, adjetivos ou qualquer outra coisa quando ama de verdade, eles se transformam em atitudes. O amor é perfeito em sua imperfeição.

Amar não é aceitar tudo, nem se tornar escravo dos sentimentos do outro. O amor é o pior dos seus acertos e o melhor dos seus erros. É eterno enquanto dura, clichê, é aquele carinho no final da tarde, o silêncio que diz mais que muitas palavras. Morrer de amor é viver. É quebrar a cara, chorar, lavar o rosto e sorrir. É chorar de rir. Ah, o amor... Ele vai te fazer suspirar, causar frio na barriga e te ensinar a criar borboletas no estômago. Você vai ter medo da perda, mas é só pra que aprenda a cuidar enquanto tem. E vai querer conquistar nos detalhes, vai associar suas músicas preferidas a alguém, vai ser você e ainda assim vai ser perfeito. O amor é isso que a gente procura de diversas formas descrever, mas simplesmente não consegue. Amar é só um verbo. Até que você o torna real.

- Raiane Ribeiro